Fera Ferida

 
 
 
Acabei com tudo
Escapei com vida
Tive as roupas e os sonhos
Rasgados na minha saída
Mas saí ferido
Sufocando meu gemido
Fui o alvo perfeito
Muitas vezes no peito atingido.
Animal arisco
Domesticado esquece o risco
Me deixei enganar
E até me levar por você
Eu sei quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
Eu sei que as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
Por que eu não esqueci.
Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo, na alma e no coração.
Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo, na alma e no coração.
Eu andei demais
Não olhei pra trás
Era solto em meus passos
Bicho livre sem rumo, sem laços
Me senti sozinho
Tropeçando em meu caminho
A procura de abrigo
Uma ajuda, um lugar, um amigo.
Animal arisco
Por instinto decidido
Me deixei enganar
E até me levar por você
Eu sei que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
Eu sei, o coração perdoa
Mas não esquece a tôa
E eu não esqueci.
Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo, na alma e no coração.
Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou fera ferida
No corpo, na alma e no coração.

– Roberto e Erasmo Carlos –

 

 


Sobre anaylop

Sou um instantâneo das coisas apanhadas em delito de paixão a raiz quadrada da flor que espalmais em apertos de mão. ... Sou uma impudência a mesa posta de um verso onde o possa escrever "A defesa de um poeta" N. Correia
Esse post foi publicado em Música. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s