Bom Conselho

Ouça um bom conselho

Que eu lhe dou de graça


Inútil dormir que a dor não passa


Espere sentado


Ou você se cansa


Está provado, quem espera nunca alcança


Venha, meu amigo


Deixe esse regaço


Brinque com meu fogo


Venha se queimar


Faça como eu digo


Faça como eu faço


Aja duas vezes antes de pensar


Corro atrás do tempo


Vim de não sei onde


Devagar é que não se vai longe


Eu semeio o vento


Na minha cidade


Vou pra rua e bebo a tempestade

Chico Buarque

Sobre anaylop

Sou um instantâneo das coisas apanhadas em delito de paixão a raiz quadrada da flor que espalmais em apertos de mão. ... Sou uma impudência a mesa posta de um verso onde o possa escrever "A defesa de um poeta" N. Correia
Esse post foi publicado em Música. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s