Mulher amada; Silêncio

Eu gosto de você

com uma força bruta que não entendo bem


Gosto quase tanto como de mim


Mas que pena você não ser também minha filha


Que pena você não ser minha filha, minha irmã e minha mãe.


Tudo ao mesmo tempo


Eu gosto de você


Com uma força bruta que não entendo bem*
….

Vem comigo, vem

Já tenho quase tudo que me basta


A flor no pasto


A mesa posta


Minha música e teu calor


Agora só me falta aprender o silêncio.
#



*"Mulher amada" – Saul Barbosa/ Gerônimo

#Silêncio – Zeca Baleiro
Ambas do álbum  Zeca Baleiro – "Baladas do Asfalto e outros Blues"

Sobre anaylop

Sou um instantâneo das coisas apanhadas em delito de paixão a raiz quadrada da flor que espalmais em apertos de mão. ... Sou uma impudência a mesa posta de um verso onde o possa escrever "A defesa de um poeta" N. Correia
Esse post foi publicado em Música. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s