Se todo mundo sambasse seria tão fácil viver…

“Que o bom samba não tem lugar nem hora
O coração de fora
Samba sem querer

Vem que passa
Teu sofrer
Se todo mundo sambasse
Seria tão fácil viver”

"Tem mais no samba", Chico Buaque

Quem ousaria contradizer Sr. Chico Buarque? Que tenha um bom argumento, um muito superior ao dele.

Quero falar de samba e declarar meu amor a este “ingrediente” musical tão importante pra tantos artistas que vivem de música.

Apaixonei-me pelo samba penso que, da mesma que ocorreu com Portugal e o movimento de Bossa-Nova: através da literatura.

Pra mim, o samba chegou por meio de Noel Rosa. Li uma biografia lindíssima sem saber quem era Noel, soube pela biografia e depois a curiosidade levou-me a ouvir suas canções interpretadas por diversos. Não posso deixar de dizer que uma das minhas preferidas de Noel é “Pierrot Apaixonado” interpretada por Maria Bethânia. A voz dela nesta interpretação e o violão que a acompanha é demais de lindo…

Aí, mesmo gostando de punk, de rock’n roll, abri ouvidos pra uma estação de rádio universitária que tem ainda programas específicos dedicado ao samba. Descobri muita coisa, coisas bonitas, no meu idioma, que é lindíssimo também.

Mudando um pouco o ritmo da batucada, na Bossa-Nova, vi que João Gilberto aclamado por sua voz e violão foi influenciado por vozes lindas como a de Orlando Silva… Lá vai eu investigar o tal de Orlando Silva. Não sei bem ao certo, mas uma das primeiras gravações de "Carinhoso"  do Pixinguinha foi dele, do Orlando. Através do “gogó de veludo” , como chamavam Orlando, descobri ainda mais Noel e outros compositores como Lamartine Babo, Wilson Baptista… E nessa salada toda comecei a atentar-me a Carmem Miranda, Ary Barroso… Caí de braços abertos no “Cavaquinho” de Nelson e nas “Cordas de Aço” do Cartola. E assim foi e ainda é.

Só sei que, como diria Dorival Cayme, “quem não gosta de samba… é ruim da cabeça ou doente do pé”. Só sei que, ruim da cabeça é que não sou, já o pé não sabe sambar, prefiro ficar do outro lado da batucada.

O que sei é que tem muita gente fazendo musica boa e esse pessoal servem-se da velha guarda do samba, do pessoal mais novo também. E tudo fica muito bom. Acho até, pelo que percebi, que ficou até chique esse negócio de samba. Quem diria, heim? O samba já foi bem mal recebido e hoje está autorizado para subir a suntuosos teatros. Lembrei-me de um samba de Haroldo Barbosa gravado por João Gilberto e mais recentemente por Tereza Cristina, é mais ou menos assim: “Vamos acabar com o samba, madame não gosta que ninguém sambe. Vive dizendo que o samba é vexame. Pra que discutir com madame?”. É linda essa música. Imaginem só, o pensamento que é expressado nesta canção já foi uma realidade. Queriam mesmo acabar com o samba. Que tolice!

"O samba é a tristeza que balança e a tristeza tem sempre uma esperança de um dia não ser mais triste"… Êh, Vinícius..

Enfim, essa é minha defesa ao samba que tanto gosto. Só digo uma coisa: quem não gosta, gostará um dia… E do samba não deixará nunca mais.

Aquele abraço!

Polyana.

 

 

Sobre anaylop

Sou um instantâneo das coisas apanhadas em delito de paixão a raiz quadrada da flor que espalmais em apertos de mão. ... Sou uma impudência a mesa posta de um verso onde o possa escrever "A defesa de um poeta" N. Correia
Esse post foi publicado em Texto. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Se todo mundo sambasse seria tão fácil viver…

  1. Patrícia disse:

    Ai que fofo seu texto…Amo ler qdo sei que foi escrito do próprio punho do "blogueiro". É como entrar um pouqinho na mente/coração dele.Enfim, acho mto bacana toda a história que há por trás do samba. Aquele documentário que você me mostrou, da Marisa Monte, é louco de bom.Mas eu ainda estou paquerando o samba. Tenho algumas seleções do coração no meu PC, mas ainda não virou amor incondicional, sabe?Está até demorando pra esse "relacionamento" acontecer, já que muitas das minhas paixões musicas estão bastante ligadas ao samba…Eu sou doente da cabeça e do pé, mas tenho tomado moderadas doses de samba e em breve acredito estar curada.

  2. Polyana disse:

    EU amo ler teus textos e de outros amigos… Não os meus, mas senti necessidade de escrever sobre isso…Não fui tão intensa como a tua Biblioteca, mas realmente é o que sinto. No fundo, no fundo, todo mundo curte um sambinha, nem que for de leve… A psicanálise ajuda a ver que realmente há algum samba dentro de nós…kkkkk… Tu é doente não, fia… é não!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s